Blog do Jetro

segunda-feira, 13 de maio de 2013



Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.


Anel de tucum é um anel feito da semente de tucum, uma espécie de palmeira nativa da Amazônia. É utilizado por fiéis cristãos como símbolo do compromisso preferencial das igrejas, especialmente da Igreja Católica, com os pobres.

O anel tem sua origem no Império do Brasil, quando jóias feitas de ouro e outros metais nobres eram utilizados em larga escala por membros da elite dominante para ostentarem sua riqueza e poder.

Os negros e índios, não tendo acesso a tais metais, criaram o anel de tucum como um símbolo de pacto matrimonial, de amizade entre si e também de resistência na luta por libertação.Era um símbolo clandestino cuja linguagem somente eles compreendiam.



O anel de tucum foi bastante divulgado por um dos seus usuários mais famosos: o cantor sertanejo Luan Santana.


Mais recentemente, a utilização do anel de tucum foi resgatada por fiéis cristãos, especialmente adeptos da teologia da libertação, com o objetivo de simbolizar a aliança das igrejas com os pobres e oprimidos da América Latina, especialmente por fiéis católicos após o Concílio Vaticano II e as Conferências Episcopais de Medellín e de Puebla.


O Anel de tucum foi tema de documentário homônimo dirigido por Conrado Berning em 1994.No filme, o bispo católico Dom Pedro Casaldáliga, um dos entrevistados, explica da seguinte maneira a utilização do anel:

“Este anel é feito a partir de uma palmeira da Amazônia. É sinal da aliança com a causa indígena e com as causas populares. Quem carrega esse anel significa que assumiu essas causas. E, as suas conseqüências. Você toparia usar o anel? Olha, isso compromete, viu? Muitos, por causa deste compromisso foram até a morte.”(Lembremo-nos: Pela causa dos Pobres, o Cristão não mata, mas dar a Vida como dizia Don Helder Câmara).



Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Anel_de_tucum